Alderan

Índice

  1. Background – leia abaixo
  2. Cidades de Alderan
  3. Pontos de Interesse
  4. Personagens Importantes
  5. Acontecimentos Recentes
  6. Regras da Casa para Alderan

Background
map1.jpg

Alderan, o Leste Além do Leste. Assim se chamam as terras além do grande deserto, ligados apenas pelas rotas mercantes com os entrepostos dos reinos desérticos e pelo Istmo do Verme Púrpura. O clima é temperado, mas com estações não muito bem definidas – costuma-se dividir o ano entre a época de calor extremo, de ventos fortes, de chuvas torrenciais e de frio nos ossos – mas apesar disso as atividades de agricultura e criação de animais prosperam o suficiente para não haver privações para a grande maioria dos habitantes.
Essas atividades começaram com a colonização dos humanos, vindos do outro lado do Continente, ainda durante a Era das Chamas, fundando cinco das oito maiores cidades da região. Cada cidade tem seu governo próprio (normalmente uma monarquia ou ducado), e as terras ao seu redor estão sob sua influência direta. Existem numerosos povoados e vilas, principalmente na planície de Lilken, a região central do continente. Apesar da rivalidade entre as cidades, não ocorrem guerras há várias décadas e as disputas entre elas normalmente é resolvida através de acordos ou desafios de jogos marciais – como justas e duelos entre campeões escolhidos entre os melhores cavaleiros e oficiais de cada exército.
A diversidade racial é uma das maiores do mundo, e há mais delas aqui que em qualquer outro lugar – inclusive muitas criaturas inteligentes são encontradas somente nessa região, seja em meio às montanhas ou mesmo no Grande Pântano Sem Fim. Os humanos colonizadores logo aprenderam que não poderiam colonizar Alderan por completo, dado que seus habitantes nativos, embora em sua maioria pacíficos, ofereciam grande perigo. Disso nasceram centenas de milhares de lendas e superstições ao longo do tempo, o que fez com que o ímpeto desbravador da maioria da população desse lugar cedesse ao medo do desconhecido – e assim a maioria dos humanos passou a se concentrar apenas nas férteis planícies do rio Lilken, evitando as montanhas e a Floresta de Benir por um longo tempo.
As atividades extrativistas começaram apenas recentemente, com alguns poucos corajosos tentando acordos com tribos locais (ou mesmo invadindo suas terras e pilhando). Entre os que retornaram com sucesso de suas empreitadas havia ouro, cristais e tesouros de diversas formas. Dessa forma, iniciou-se um novo ciclo de explorações por todo o continente, com muitas pessoas tentando a sorte nos ermos de Alderan em busca de tesouros em suas regiões ainda inexploradas. Até mesmo nobres passaram a buscar essas riquezas, e alguns simplesmente buscam fama e reconhecimento ao se dedicarem a empreitadas particularmente perigosas.
A reação das outras raças foi lenta, mas crescente. Algumas tribos e comunidades aceitaram a presença humana, e até hoje realizam atividades de comércio com suas cidades. Outras tornaram-se hostis, evitando contato ou mesmo eliminando invasores. Poucas se dispõem a ataques diretos contra os humanos, mas uma onda de desaparecimentos, assassinatos e atrocidades em vilas mais distantes das grandes cidades amedronta a população. Algumas revoltas passaram a ocorrer, e o início de uma crise começa a figurar entre os nobres e governantes, que não conseguem acabar com esses eventos trágicos, quase sempre associados pelo povo à violação das terras dos “outros”, como chamam as raças que vivem fora do território humano.
Apesar do medo crescente, os não-humanos não são hostilizados dentro das grandes cidades, pois boa parte deles realizam atividades de comércio de forma amistosa e estão em vias de integração com a sociedade humana. Nas vilas e povoados mais distantes, porém, ocorre o inverso devido ao fenômeno explanado acima, mas via de regra isso não é uma verdade absoluta – cada região trata não-humanos de uma forma diferente.

Alderan

Aldard - A Sexta Era anatnasoicram