Magia Antiga e Moderna

Histórico

A primeira forma de utilização de magia foi criada e desenvolvida pelos primeiros elfos do mundo, embora houvessem creditado a dádiva à Deusa-Luz a generosidade de ter dado-lhes esse conhecimento. Durante muitas eras, os elfos aperfeiçoaram um antigo sistema que utiliza o poder mágico bruto sob diversas formas: cura, criação, destruição, convocação, transporte, transmutação, encantamento… Essencialmente, no início das eras, existiam apenas conjuradores divinos, capazes de canalizar os poderes concedidos pelas deusas sob essas formas simples de magia. Ao longo do tempo, os elfos foram desenvolvendo formas mais refinadas de manipular este poder, e enquanto isso as criaturas de Arir também começaram a se utilizar de magia; Logo depois da Era da Ira, quando Rur quase extinguiu todas as raças existentes até então, essas formas de aprender e usar poderes mágicos se perderam, sendo resgatadas apenas mais tarde não só pelos próprios elfos como pelos recém-chegados humanos e outras criaturas – como os dragões. Estes conceberam uma forma totalmente nova de magia, que não requeria a fonte divina, e chamaram-na de magia arcana. E passaram a utilizar um sistema próprio para conjuração, as Palavras de Poder. Enquanto isso, os humanos e elfos aperfeiçoaram seu próprio modo de conjuração, tornando a magia que utilizam mais especializada e menos dispendiosa, levando aos fundamentos do que hoje é a conjuração moderna.

Magia Divina, Magia Arcana e Palavras de Poder

O dom da magia fora primeiro dado por Benir aos elfos, que o cultivaram durante toda uma era. Arir, por sua vez, também tentara conceder o mesmo dom às suas crias, mas estas o desprezaram quase por completo, entregues como estavam à selvageria e a brutalidade. Os primeiros conjuradores do mundo certamente eram os clérigos da Deusa-Luz, que aperfeiçoaram a manipulação do seu dom à perfeição, até a ira da Deusa do Equilíbrio varrer Aldard e quase todo esse conhecimento ter se perdido. Coube aos sobreviventes e às outras raças resgatá-lo das ruínas, e assim formas e mais formas de conjuração foram sendo desenvolvidas. Por essa época, também Arir havia cedido seus dons profanos a quem ousasse aceitá-los, e logo os clérigos da Escuridão se ergueram. Criações dela, os dragões foram os seres que mais aperfeiçoaram os dons mágicos, e o conseguiram com tamanha maestria que não só criaram um sistema próprio de manipulação mágica – as Palavras de Poder – como também desenvolveram uma forma totalmente nova de magia, que independe do poder divino das deusas: a magia arcana.

Magia Moderna

Os humanos desvendaram e aperfeiçoaram tanto os segredos da magia élfica quanto os da magia dracônica, e a partir do que descobriram sintetizaram seu próprio sistema de conjuração, usado hoje pela esmagadora maioria daqueles capazes de utilizar magia. A utilização de fórmulas prontas para usos específicos tornou a magia mais fácil de ser aprendida e mais econômica em recursos. Muitas magias surgiram como reproduções de fenômenos naturais, outras como imitação de efeitos mágicos de criaturas sobrenaturais. Dizem até mesmo que o método humano de conjuração se espalhou de tal modo que até mesmo as novas divindades o adotaram, e por isso o poder concedido por elas se manifesta dessa forma, e que até a própria natureza aderiu a ele, de tal forma que, guardadas as proporções, as magias dos conjuradores espontâneos funcionam essencialmente de forma idêntica às dos magos.

Magia Antiga e Moderna

Aldard - A Sexta Era anatnasoicram