Raças Mais Comuns

A população de cada continente varia drasticamente conforme as suas características geográficas, climáticas e culturais mudam, mas de um modo geral existe um pequeno grupo de raças inteligentes que podem ser encontradas em praticamente todos eles. Existem ainda miríades de outras raças menos comuns, com suas próprias culturas e civilizações, isoladas ou integradas com outras sociedades, mas que não estão inclusas aqui por serem encontradas estritamente em algumas regiões ou terem populações relativas demasiado reduzidas para ter alguma representatividade em seus ambientes.

  • Humanos

São a raça mais comum no Continente Central, mas é discutível se são a raça mais numerosa no restante do mundo. Embora sua população seja maior nesse continente, suas cidades-estados, reinos e impérios estão constantemente em conflito uns com os outros. Alguns deles possuem colônias em outros continentes, mas raramente são mais do que postos comerciais avançados onde mercadorias e até pessoas são negociadas com os nativos. Na parte oeste do Continente Central, estima-se que existam mais estados do que em todo o restante do mundo. A incrível versatilidade e diversidade humana é questão tanto de desconfiança e ódio quanto de admiração e espanto pelas outras raças com quem mantêm algum contato.

  • Elfos

Possuem praticamente todo o Continente Leste sob seu domínio, do qual pouco se sabe a não ser que é em sua maior parte tomado por florestas. Comunidades élficas florescem em todo o continente, mas raramente formam cidades grandes. Dentro desse domínio verde, porém, uma guerra silenciosa é travada entre os altos-elfos e os drow, descendentes dos remanescentes de eras passadas que combatiam pela deusa da Escuridão Arir. Algumas outras “espécies” de elfos podem ser encontradas em regiões diversas, como os “elfos do gelo” mais ao sul, que são naturalmente resistentes ao frio, e os “nobre-elfos”, tipicamente reconhecidos como líderes dos demais elfos. Um costume comum a todos os elfos, de todas as regiões do mundo e todas as sub-raças, é o seu rito de passagem à idade adulta: todo elfo deve viajar para além das terras élficas durante um período de tempo que varia de uma década a mais de um século, e deve retornar com ao menos um feito notável. Quanto mais histórias tiver para contar aos anciões (de seu clã, de sua comunidade…), porém, maior será seu ganho de status dentro da sociedade à qual pertence. Diz-se que é raro um elfo permanecer toda a sua vida em sua terra, mas é ainda mais raro que um elfo não volte a ela.

  • Anões

Tipicamente reclusos sob as montanhas de onde mineram suas riquezas, os anões estão quase sempre ligados a raças que valorizam seu trabalho de extrair metais e pedras preciosas. Colônias anãs em terras humanas não são incomuns, e mesmo alguns reinos os incorporam ao seu exército devido à sua habilidade marcial. No entanto, entre as outras raças, não há muito contato e mesmo havendo, dificilmente será de uma forma amigável (principalmente se o caso envolver seus inimigos naturais, orcs, goblinoides e trolls). Seus maiores reinos estão no Continente Sul, sob a cordilheira Var. Sua maior cidade, Kal Karaz, está sob a montanha de mesmo nome, cujo pico é o ponto mais alto conhecido do mundo e fica a dez mil metros acima do nível do mar. Também é no complexo de minas sob essa montanha onde se encontram minerais lendários, com os quais se diz que foram feitas diversas relíquias em eras passadas, desde o surgimento da própria raça anã mas que agora estão perdidas no mundo e no tempo.

  • Halflings

Tão curiosos quanto os gnomos, eles também tendem a formar comunidades próximas a cidades prósperas, ou a recolherem-se em campos férteis. Entre esses extremos, há várias outras formas de se agruparem, e a mais comum é a de caravanas nômades. Assim como os humanos, são mais encontrados no Continente Central, embora haja clãs em outros continentes, notadamente no Sul. Por ser um povo pacífico, costumam manter relações amistosas com a maioria das comunidades com as quais travam contato, e quase sempre evitam comunidades mais belicosas. No entanto, boa parte dos halflings possui talento natural para as artes furtivas e a espionagem, e não é raro indivíduos dessa raça agindo como ladrões, assassinos ou informantes.

  • Gnomos

Espalhados por todo o mundo, os gnomos formam suas comunidades em áreas florestais ou onde quer que julguem ser interessante do seu ponto de vista, dominado pela curiosidade e espírito inventivo. Sendo assim, suas comunidades podem ser facilmente encontradas em terras humanas ou élficas. Embora apreciem o trabalho anão, em geral não conseguem firmar bons relacionamentos com eles, todavia o ódio por inimigos comuns às duas raças pode mudar bastante as coisas. Ainda que possuam talento natural para a magia, é raro que possuam a disciplina necessária para estudá-la, e contentam-se em desfrutar e lapidar os poderes mágicos que venham a possuir de uma forma bem mais prática e aplicada.

  • Orcs

Suas hordas costumam espreitar nas fronteiras do mundo civilizado. Habitam lugares ermos e costumam usar o saque, a pilhagem e a matança como meio de sustento. Embora essa seja a regra, há notáveis exceções – não é raro que um bando orc seja contratado como milícia ou ajam como mercenários em tempos de guerra. A maior parte habita o Continente Oeste, com diversas tribos competindo com as tribos de Homens-Fera pelo domínio das planícies e savanas de lá. Muitas vezes usam o trabalho escravo para obtenção de boa parte de seus materiais, e os bandos e tribos que não o fazem estão satisfeitos em tomá-los do seu inimigo junto com suas vidas. Algumas vezes, os orcs costumam fundar cidades e construir fortalezas próprias, mas o fazem principalmente como forma de defesa e para concentrar esforços na extração de materiais essenciais para a tribo/bando.

  • Goblinoides

Tratados como raças inferiores pela maioria das outras raças onde quer que vivam, os goblinoides, assim como os orcs, vivem à margem das civilizações que os desprezam. Os goblins, quando lhes é dada a chance, podem se integrar às comunidades civilizadas, muitas vezes assumindo papéis degradantes e rejeitados pela maioria dos indivíduos com quem mantêm contato – seja como trabalhadores semi-escravos ou criminosos de baixo nível, em sua maioria. Hobgoblins formam hordas agressivas e costumam ser mais organizados em combate do que a maioria das raças selvagens, chegando a elaborar táticas dignas de estrategistas militares. Não é raro que algumas tribos vendam seus serviços como grupos de mercenários em diversas terras do mundo, ou mesmo que eles mesmos se lancem à conquista e ao saque. Bugbears, ao contrário do que pode se pensar sobre gigantes brutais e pouco inteligentes, são tão capazes belicamente quanto os hobgoblins. Dominadores, eles costumam subjugar inimigos e roubar suas hordas para munirem-se de escravos e guerreiros que facilmente podem ser comandados pela força. Assim, é comum que hajam tribos e hordas mistas, compostas por goblins, hobgoblins e outras raças escravas, todas comandadas por clãs de bugbears.

Raças Mais Comuns

Aldard - A Sexta Era anatnasoicram